ZeroZen Files

A verdade sobre os monólitos misteriosos

O ano de 2020 foi repleto de sinais do apocalipse. Até mesmo uma nuvem de gafanhotos passou perto do Brasil. Porém, as coisas ficaram realmente complicadas quando uma série de monólitos de metal foram vistos em diferentes países do mundo. É claro que uma situação dessas precisava ser investigada a fundo. Mais uma vez, a ZeroZen seguiu pistas ignoradas pela tacanha e adesista mídia mundial e descobriu a verdade por trás dos monólitos misteriosos.

Antes de mais nada, é preciso dizer que não houve uma grande investigação sobre o assunto. Isto porque o The Most Famous Artist, um coletivo de artistas sediado em Santa Fé, no estado americano do Novo México, assumiu a autoria pela construção e instalação das peças.

Sim, é importante, neste caso, destacar o plural. Foram vários monólitos espalhados em vários locais pelo mundo. O primeiro surgiu em uma região remota do Estado de Utah, nos Estados Unidos, no dia 24 de novembro de 2020. Surpreendentemente, outro objeto apareceu na colina Batca Doamnei, na cidade de Piatra Neamt, no condado de Neamt, no nordeste da Romênia, no dia 26 de novembro de 2020.

Como se não fosse suficiente, um terceiro monolito misterioso de metal foi visto no Reino Unido, no dia 8 de dezembro de 2020. A estrutura tinha 8,2 m e surgiu no topo de uma colina em Dartmoor, no sudoeste do país. Vale notar que os três objetos surgiram em três países diferentes em um espaço relativamente pequeno de tempo.

Quando a notícia dos monólitos se espalhou, muitos jornais, revistas e sites usaram como referência o livro e o filme "2001: Uma odisseia no espaço", do diretor Stanley Kubrick e do escritor Arthur C. Clarke. Na trama, existe o surgimento de um misterioso monólito na trama.

Todavia, depois da declaração do The Most Famous Artist, ninguém mais se interessou pelo assunto. Mas muita calma nessa hora. Em entrevistas ao site Mashable, Matty Mo, fundador do coletivo, explicou que essa foi "a melhor maneira de terminar um ano tão maluco." Parece uma justificativa no mínimo ingênua para tanto trabalho. Mo ainda ironizou toda a situação. "Vamos deixar todo mundo pensar por um momento que aliens fizeram contato conosco, só para todo mundo ficar desapontado logo em seguida vendo que é só The Most Famous Artist fazendo truques de novo", admitiu.

Só que um designer assumiu a criação de um monólito, descoberto na Ilha de Wight, na Inglaterra. E não fazia parte do The Most Famous Artist. Outro fato estranho: os autores das intervenções feitas nas demais localidades não se manifestaram. Curiosamente, outras colunas metálicas continuaram a aparecer mesmo depois da declaração do The Most Famous Artist, sem conexão aparente com o coletivo.

A situação parece um filme do Christopher Nolan, ou seja, não faz o menor sentido. Mas basta usar a boa e velha lógica para analisar o que aconteceu. O dinheiro poderia ser a motivação principal do The Most Famous Artist. O grupo resolveu revelar bastidores da construção da obra no Instagram. Mais ainda: na postagem o coletivo diz ser possível a compra de um dos monólitos por US$ 45 mil (cerca de R$ 232 mil).

Mesmo assim, o custo de uma operação que envolva três países diferentes parece estar muito além da capacidade do The Most Famous Artist. Ou seja, seria preciso muito dinheiro para coordenar o surgimento dos monólitos. Porém, toda a ação parece um grande plano de marketing executado por alguma corporação.

E é justamente nesse momento que tudo se encaixa, que tudo faz sentido. Quem teria dinheiro, sedes ao redor do mundo, e a intenção de divulgar monólitos? A resposta é absurdamente simples e óbvia: a Microsoft!!

Antes que o apoplético Zeronauta olhe para o Windows e tenha vontade de se atirar, cabe uma explicação. O ano de 2020 foi marcado pelo lançamento de uma nova geração de videogames. A Microsoft revelou ao mundo o Xbox Series X e o Xbox Series S. Sim, os dois consoles que contaram com o investimento de milhões de dólares em design se parecem com o quê? Retângulos! E os monólitos são, na verdade, retângulos!

Vale notar que Bill Gates, o cofundador da Microsoft, anunciou no dia 13 de março de 2020, a sua saída da diretoria da empresa. Especulamos que sem o chefe algum gênio do marketing bolou essa estratégia de divulgação dos novos consoles. Depois que a divulgação dos monólitos começou, alguém deve ter feito uma ligação para Gates, contado o plano e, provavelmente, esperado uma série de elogios.

O ex-chefe da Microsoft deve ter soltado uma torrente de palavrões e ordenado o fim dessa palhaçada. A partir daí, a empresa deu o tradicional jeitinho norte-americano. Contratou o The Most Famous Artist e fez com que eles assumissem o desastre.

Fofox Murder

A verdade está lá fora jogando Cheap Games

Considerações finais

1 - Se você for na página oficial do coletivo The Most Famous Artist (https://www.themostfamousartist.com/) existe a opção de explorar a comunidade. Isso é interessante, pois seria possível ver se eles têm artistas na Romênia e outros locais onde surgiram os monólitos.

2 - Porém, ao clicar na página da comunidade de artistas (https://www.themostfamousartist.com/for-artists) surge a seguinte mensagem:

We couldn't find the page you were looking for. This is either because:

There is an error in the URL entered into your web browser. Please check the URL and try again.
The page you are looking for has been moved or deleted.

3 - Nem é preciso ser um gênio da conspiração para ver que essa página foi deletada por um punhado de dólares a mais...

O texto acima é uma obra de ficção e qualquer coincidência com pessoas ou terceiros é meramente acidental ou usada como forma de paródia.

Lomadee, uma nova espécie na web. A maior plataforma de afiliados da América Latina.