ZeroZen Files

A verdade sobre a morte de Carrie Fischer

"Deixe o passado morrer. Mate-o, se for preciso. É o único jeito de cumprir o seu destino." Kylo Ren, em Star Wars: Os Últimos Jedi

A ZeroZen desvenda conspirações em qualquer lugar do mundo. A nossa equipe está preparada para encontrar pistas ignoradas pela tacanha mídia até mesmo em outros países. Desde que, é claro, o pessoal pague a passagem. Por que não tá fácil pra ninguém. E com o lançamento do novo filme de Star Wars está na hora do público saber a verdade sobre a morte da atriz Carrie Fischer.

Carrie Frances Fisher morreu no dia 27 de dezembro de 2016. Ela passou mal perto do fim de um voo transatlântico de Londres para Los Angeles. Foi levada para o hospital de Los Angeles, mas não resistiu. Aparentemente seria mais uma dessas terríveis fatalidades que acontecem com estrelas de Hollywood.

Mas antes de mais nada é preciso conhecer mais sobre o passado da atriz. Carrie Fisher foi uma atriz, escritora, produtora e humorista. O talento de Fisher vinha do berço. Era filha de Eddie Fisher e Debbie Reynolds. Ficou famosa por interpretar a Princesa Leia na série de filmes de Star Wars.

Porém, a vida de Carrie foi conturbada para dizer o mínimo. Nos últimos anos, ela admitiu publicamente sua toxicodependência e suas experiências com transtorno bipolar. A própria atriz chegou a declarar que o vício estava atrapalhando a sua vida: "Um dia percebi que eu estava usando um pouco mais de drogas que as outras pessoas que eu conhecia, e perdendo minha capacidade de fazer escolhas".

A relação com a mãe era, para usar um eufemismo, complicada. Isso pode ser visto claramente em Bright Lights: Starring Carrie Fisher and Debbie Reynolds, um documentário de 2016 sobre seu relacionamento. A obra estreou no Festival de Cinema de Cannes de 2016.

Como se não fosse suficiente, ela admitiu ter um caso com Harrison Ford. Na época, o ator era casado. É... Han Solo é o famoso pica das galáxias. Só que as revelações ainda não terminaram. Fisher confessou que não foi só a estrela da morte que virou pó. "Usávamos cocaína no set de Star Wars: Episódio V - O Império Contra-Ataca, no planeta de gelo. Eu nem gostava tanto, mas usava o que fosse necessário para ficar chapada".

Com um histórico desses não é de espantar que o laudo forense, elaborado pelo hospital de Los Angeles, que atendeu a atriz, afirmou que Fisher poderia ter consumido cocaína até três dias antes da sua morte. Também indicou a presença em seu corpo de outras substâncias, como heroína e ecstasy. Mas os médicos não puderam determinar o momento nem o dia em que ela ingeriu os entorpecentes.

Inclusive, dias antes da divulgação do resultado da autópsia, a agência Reuters informou que Fisher morreu em decorrência de apneia do sono e “outros fatores”. A agência citou como fonte o comunicado do escritório do legista do condado de Los Angeles. A Apneia do Sono é um distúrbio que causa obstrução das vias respiratórias durante o sono.

De fato, considerando o talento de Carrie Fisher para o consumo de substâncias ilícitas, acreditar que a apneia do sono foi a causa da morte é ser, no mínimo, ingênuo. Mas vale notar que o legista admitiu que existem outros fatores não determinados.

Daí para frente a ZeroZen começou a seguir as pistas ignoradas pela obnubilada mídia internacional. Com um pouco de esforço foi possível conectar todas as pontas soltas.Quem matou a princesa Leia? (spoiler: não foram os roteiros ruins). A verdade é que a resposta estava no espaço, em uma galáxia muito, muito distante. Sim, caro Zeronauta, Carrie Fisher foi assassinada!

Antes de o Zeronauta ligue o seu sabre de luz é preciso dizer que é provável que o assassino acabe impune. Mas a verdade é que Carrie Fisher foi envenenada. A maneira como isso aconteceu é terrivelmente simples. Carrie Fisher tinha uma grande paixão por Coca-Cola, já que seu pai, Eddie Fisher, foi representante da marca na década de 1950.

Aliás, durante uma participação de Carrie no programa “The Ellen Degeneres Show”, a apresentadora questionou qual bebida estava dentro da caneca da atriz. Ela respondeu sem pestanejar que estava bebendo Coca-Cola. Não somente isso, ainda disse que essa era uma prática bem comum no seu dia a dia. Ela afirmou que chegava a abrir 16 latas em um curto período de tempo.

Mas, calma. A Coca-Cola não é culpada. Porém, fica evidente que o assassino sabia disso. O motivo? Carrie era sempre vista com uma lata do refrigerante durante as filmagens e turnês de divulgação dos filmes de Star Wars. Ou seja, bastava envenenar uma dessas latas e pronto. Muito mais preciso, certeiro e letal do que um exército inteiro de Stormtroopers...

Infelizmente fica difícil precisar quem cometeu o crime. Especulamos se foi o diretor, ou mesmo qualquer integrante da nova geração. Nos filmes fica claro a falta de talento, a inépcia, a ausência de carisma. Ou seja, o público seguia torcendo pelos atores da saga original. Isso pode ter despertado o ciúme, o que em Hollywood é uma combinação fatal.

A nova geração de Star Wars quer matar a antiga! Tanto que o personagem Kylo Ren diz: "Deixe o passado morrer". Como os fãs não aceitaram muito bem a ideia, alguém do elenco resolveu acelerar o processo.

Fofox Murder

A verdade está lá fora usando o sabre de luz para matar mosquitos

Considerações finais

1 - Com a morte de Carrie Fisher os fãs podem ficar preocupados com o futuro da saga. A ZeroZen garante: não há problema. Até por que a Star Wars não tem futuro nenhum...

2 - A mãe, Debbie Reynolds, morreu 24 horas depois de ser avisada da morte da filha. Coincidência?

Lomadee, uma nova espécie na web. A maior plataforma de afiliados da América Latina