The Who? Quem viu? (Porto Alegre 26/09/2017)

The Who (quem?) em Porto Alegre. Dá para acreditar? Uma das bandas mais importantes da história do rock veio até a capital gaúcha. Então isso significa um estádio completamente lotado, certo? Errado. Um público pequeno em comparação a importância da banda assistiu a um show que tinha tudo para ser antológico. Mas que serviu para provar que a frase "Hope I die before I get old" faz cada vez mais sentido. Porém, verdade seja dita, foi um show profissional, que é o mínimo que se espera de uma banda com mais de 50 anos de carreira.

Def Leppard

Foi a banda de abertura. As coisas começaram mal. O Def Leppard é tão ruim quando uma banda gaúcha. Se era para errar nesse nível o mais fácil era valorizar o produto local. Show morno sem maiores atrativos. O público esperou a banda tocar seus sucessos. Até que se lembrou que eles não têm nenhum.

Em tempo, a plateia só saiu do torpor quando reconheceu os acordes de Love Bites. A música teve uma versão em português gravada pela banda Yahoo, que levou o inacreditável nome de Mordidas de Amor (sério, Google it). É sem sombra de dúvidas um CCU - clássico da chinelagem universal.

O Def Leppard também é conhecido por causa de seu baterista Rick Allen. Ele perdeu um braço em um acidente, mas, mesmo assim, seguiu tocando com a banda. Como ele fez isso? Fácil. A maioria das músicas ele tocava de ouvido...

Em defesa da banda diga-se que eles fazem parte da segunda divisão do rock. Então tocar no Beira-Rio até que faz sentido...

The Who

Essa talvez seja a turnê de despedida da banda. Mas não se surpreenda se eles continuarem a se apresentar como duo. Roger Daltrey disse no final da apresentação que aquele poderia ser o último show da banda, para acrescentar rapidamente da “banda” com aquela formação.

As cadeiras estavam lotadas, mas a pista tinha grandes espaços vagos. Com um público que como a banda não podia ficar de pé por muito tempo isso é normal. A “banda” talvez devesse se apresentar no teatro Araújo Vianna se houver outra vez.

Ainda assim: sejamos honestos. A banda tem história e repertório. Mas os milênios só vibraram com a trilha sonora dos CSIs. Então somente em quatro músicas o pessoal sabia cantar junto. Só faltou uma participação especial do Grimson. O fato é que I Can See for Miles (CSI Cyber), Who Are You (CSI Original), Baba O'Riley (CSI New York) e Won't Get Fooled Again (CSI Miami) tiveram empatia imediata.

Mas o quarteto, que conta com somente dois integrantes da formação original: o guitarrista e compositor Pete Townshend, 72 anos, além do vocalista Roger Daltrey, 73, não decepcionou musicalmente falando. O baterista Zak Starkey, filho do beatle Ringo Starr foi realmente uma surpresa. Conseguiu emular o estilo demolidor de Keith Moon. Fica a dúvida: com quem ele aprendeu a tocar? Com o pai dele é não foi... Já o baixista Jon Button não compromete.

O repertório do show empilhou hits (que, honestamente, parecia que boa parte da plateia estava escutando pela primeira vez) até que Pete Townshend avisou: "Agora vamos tocar três músicas do Quadrophenia". Uma atitude moderna da banda. Como se sabe, Quadrophenia trata-se de um dos álbuns de rock mais equivocados que se tem notícia. Que não faz o menor sentido, mesmo para um álbum conceitual, procure na wikipédia para saber. Pois nós tentamos e não entendemos. Então foi o tempo das pessoas acessarem as redes sociais, postarem fotos no instagram, discutir sem motivo aparente no grupo da família no Whatsapp, enfim, era hora de prestar atenção em qualquer outra coisa.

Depois desse tédio brutal (com direito a solo de tecladista!) a banda voltou à programação normal e passou a tocar as músicas mais representativas. Detalhe interessante. A galera hipster presente ao estádio durante o tédio de Quadrophenia passou a gritar "Fora Temer". Bem, se existe uma música ideal para isso é Won't Get Fooled Again. Mas exigir que eles saibam a letra é pedir demais. Ou eles sabiam que vamos ser enganados de novo...

A banda ameaçou sair do palco antes do manjado bis, mas Roger Daltrey foi honesto: "It's bullshit". Então a banda voltou e terminou o show com certa dignidade.

Da Reportagem Local, sim nós estivemos lá:p

P.S. - Um pouco de cultura inútil para os milênios: antes do show começar uma música do Led Zeppelin “When the leaves breaks” tocou pelos alto-falantes do show. Foi uma escolha no mínimo curiosa, pois Pete Townshend por muito tempo teve uma rusga contra Jimmy Page por ele ter tentado levar Keith Moon para o futuro Led Zeppelin. Diga-se de passagem aquela história do zepelim de chumbo, Lead Zeppelin, foi uma idéia do Keith.

Setlist:

I Can't Explain

The Seeker

Who Are You

The Kids Are Alright

I Can See for Miles

My Generation

Bargain

Behind Blue Eyes

Join Together

You Better You Bet

I'm One

The Rock

Love, Reign O'er Me

Eminence Front

Amazing Journey

Sparks

Pinball Wizard

See Me, Feel Me

Baba O'Riley

Won't Get Fooled Again

5:15

Substitute