Persona 3 Reload Digital Deluxe Edition

A primeira surpresa ao iniciar Persona 3 Reload é que o game usa o Unreal Engine! Coisa rara num jogo japonês, em especial da Atlus. Aqueles spin-offs de Persona 5 devem estar rendendo um bom dinheiro.

A segunda: que é totalmente traduzido para português! Essa realmente surpreende, especialmente pelo texto do roteiro ser muito parecido com o original. Mais sobre essa tradução depois.

Nós dissemos que Persona 3 com Reload não ia mudar muito. Afinal, depois de uma expansão (FES), uma animação e um filme, seria improvável que mudassem alguma coisa na história. E Reload realmente não mudou. Persona 3 Portable, por exemplo, tem mais mudanças que Reload!

Detalhe: não compre a versão Digital Deluxe, compre o Season Pass: é muito mais útil. E mais barato. Mas não muito.

O jogo se passa novamente no ano de 2009 e vai até o primeiro mês de 2010. Exatamente como o original. O que levanta mais perguntas que respostas.

O texto é praticamente o mesmo. Mas não se empolgue, as perguntas nos testes diários e provas mudaram.

Já a interpretação é nova. Todo elenco mudou. Mas ainda é meia boca como a original. Com algumas melhorias para Jumpei e Mitsuru.

Persona 3 Reload é um remake fiel ao jogo original. Até demais. A idéia parece ser a seguinte: vamos manter tudo aquilo questionável no jogo original: Tartarus(traduzido como Tártaro, mas que não tem nada a ver com o molho, mirins. É da mitologia grega e não devia ser traduzido! ) e aqueles invocadores em forma de revólveres.

Sim, invocadores não “evocadores”. Nada de “parkour” ou acrobacias mirabolantes como em Persona 5.

E para não dizerem que nada mudou: melhorar os gráficos. Ou seja, quase tudo igual como era antes. Com exceção dos gráficos.

Até mesmo a trilha sonora é a mesma. São as mesmas músicas, mas cantadas por outros artistas. O que é curioso.

Então, quando recomeçamos o jogo estamos novamente em 2009. O MC ainda usa pendrives para ouvir mp3s. Nada de whatsapp ou social networks e coisas do gênero. Ainda estamos nas SMS. E o shopping Center ainda tem aquela loja que vende CDs! A passagem do tempo fez alguns estragos na narrativa do jogo.

No mais, você ainda vai ter apenas um ano para derrotar Nix e os shadows. Nada mudou na jogabilidade: jogue um pouquinho e depois descanse um pouquinho. De dia vá à escola, à noite vá ao Tartarus e em noites de lua cheia enfrente um chefão. Faça isso ao longo de um ano no jogo. Pronto, isso era Persona 3. E as coisas não mudaram muito em Reload. Lembre-se Tartarus tem 256 andares! E Nix vai estar lhe esperando no último andar.

Seja amigo de todo mundo. Inclusive daquelas criaturas que não valem um sabugo. O que interessa é a Persona dessas criaturas. Como já dissemos antes: Persona é um jogo de interesses. Você é um interesseiro.

Até as personas não mudaram! Logo crie uma persona “Lilim” no início do jogo com os quarto elementos: AGI, ZIO, BUFU e GARU. Assim você não precisará perder muito tempo com outras personas, digo criaturas. Mantenha-a até o final. Vá elevando a mágica e a força! Adquira um skill card de “invigorate 3”. Vai tornar sua vida bem mais fácil. SP foi traduzida como PE, HP como PV. E continua extremamente importante.

Coisas que mudaram: Escolher as “cartas” no final de uma batalha não é mais um jogo de sorte frustrante. É agora um simples exercício de escolha. Ainda mais fácil que aquele de Persona 4 Golden.

O “pass the baton” introduzido em Persona 5 também foi incorporado a jogabilidade de Persona 3 Reload. O que é uma boa inclusão.

"Teurgia” – Uma espécie de golpe especial, que varia para cada membro do seu time. Não o ignore. É realmente importante. Especialmente contra chefões. Detalhe: tem origem na palavra grega "theourgía" que significa "obra de Deus".

Resgate de pessoas perdidas no Tartarus. É uma idéia boba, e tem um pequeno problema: essas criaturas dão dinheiro ao policial de plantão como recompensa, que depois passa para você quando visitar a delegacia. O problema é: essas pessoas não têm o potencial! Como se lembram que foram resgatadas? E resolvem dar dinheiro a um policial aleatoriamente?

Persona 3 Reload era realmente necessário? Sim e não. Persona 3 não teria envelhecido bem? Em partes, sim. Outras não. O problema é que Reload não se foca somente nas partes que não envelheceram bem. Inclusive mudando coisas que não deveria.

Se vocês querem mesmo jogar Persona 3. Joguem a versão original ou FES lançada para o PS3, como parte dos “PS2 classics”. Não tem um PS3? Arranje um PS2 desbloqueado. Mas não diga pra ninguém que fomos nós que recomendamos.

Se o incauto zeronauta já jogou Persona 3 no PS2 ou PS3, Reload não tem mistério algum. É um uniforme novo para o mesmo prisioneiro. E era isso o que a maioria dos fãs esperava.

E sim, The Answer é um DLC. Nós cantamos essa pedra, não é mesmo? É para isso, entre outras coisas, que você precisa do “season pass”.

Agora, para Persona 6 é hora de atualizar a trama, falar da shadow(sombras) fobia. Como ter fobia de algo que poucos “vêem”? Shadows têm que saírem do armário... Ou ter um grupo que defenda os direitos dos shadows. Essas coisas!

Saulo Gomes

P.S.: Sobre a tradução: eles traduzem a arcana “Chariot”(carruagem) como carro. Traduzir arcana como "ranque" também está errado, mas é passável. Afinal, um mirim não saber nada sobre mitologia grega é compreensível. Mas se ele joga RPGs, no mínimo, deve saber o que é uma carruagem. Por favor. Além disso, certas coisas como magias, armas e amaduras não deviam ser traduzidas! Afinal quando você procurar por um walkthrough (passo a passo) na internet ele não vai estar traduzido e vai ser aquela bagunça. E não se engane: você vai definitivamente precisar de um.

Prós - Um bom remake para neófitos.
Contras - Tradução às vezes deixa a desejar.