Roguelike Hell

OK, mirins parem com essa babaquice de games “roguelike”. Vocês querem jogos mais realistas? Querem realismo? Paguem as suas próprias contas! Passem 4 anos numa universidade para serem recusados numa entrevista de emprego, por não ter o “perfil” desejado. Não importa experiência ou conhecimento, mas o perfil!

Videogames são para fugir da realidade! A mesma coisa com álcool e drogas... Bando de mirins. Não para serem realistas! A vida é muito pior!

O que compõe um roguelike game? Essencialmente: morte definitiva, mapas aleatórios e combate em turnos. Ou em outras palavras: algo japonês... RPG ou não...

OK, vocês querem morte definitivas em videogames? Então, vamos falar sobre a morte: existe vida após a morte? Ninguém sabe. Existe céu ou inferno? Possivelmente não. Vide a primeira.

Diga-se de passagem: se você puder ligar e desligar o seu console de novo. Não é morte definitiva! Entenderam?

Jogos com morte definitiva são realistas? Não. Frustrantes com certeza! Mas se é frustração o quê vocês querem. Continuem vivendo desse jeito, que vocês estão no caminho certo para uma vida bem frustrante! Ou comecem a torcer pelo Internacional, ou algum outro time de futebol qualquer, que passe quinze anos sem um título. Regional. Mas vocês entenderam...

Um jogo “Roguelike” não é realista. É quando muito bobo, tolo e desnecessário...

Da Equipe de Articulistas